Dicas, Vídeos

Trilha e rapel na Pedra da Tartaruga – Rio lá Fora

@paulavarejao
@paulavarejao

Trilha e rapel na Pedra da Tartaruga

Apresentadora Paula Varejão #rioláfora

O Rio de Janeiro me impressiona a cada dia. Se você também é um daqueles que curte natureza, aventura e novas descobertas, a cidade sempre te surpreende com um “pico” novo que te deixa sem fôlego…

E daí você pensa:

Como esse lugar fabuloso estava aqui tão perto e eu ainda não o conhecia?!

Esse foi o caso da Pedra da Tartaruga, com sua vista fantástica para três praias desertas:

  • Praia do inferno,
  • praia do meio e
  • praia do perigoso.

A trilha da Barra de Guaratiba até a Pedra da Tartaruga

Com direto a alguns mergulhos nas águas transparentes da Praia do Perigoso, já é um programa bem legal. Agora, ainda fazer um rapel da “cabeça” da tartaruga, descendo em negativo com aquela vista, foi sensacional.

A trilha na pedra da tartaruga

A trilha é fácil, muito bem sinalizada, bem aberta e cheia de belas paisagens pelo caminho. Há inclusive uma bica com água natural, parada obrigatória para encher as garrafinhas. No meio do caminho pegamos uma rota alternativa pelas pedras, ladeando a costa. São uns 40 minutos até a praia dos Búzios, que está no pé da Pedra da Tartaruga. Essa é a parte mais pesada do percurso: 15 minutos de subida ingrime, mas vale a pena.

A trilha começa na Barra de Guaratiba, então deve-se ir de carro ou ônibus até lá. É bom chegar cedo, já que o programa é longo, dura no mínimo 3 horas. O ideal é ir nos dias de semana, já que está menos cheio.

Lá em cima a galera do No Russ montou o rapel e me passou as instruções.

@paulavarejao
@paulavarejao

 

Uma das dicas mais importantes para as mulheres é prender bem o cabelo, já que ele é um dos principais causadores de acidentes. A descida começa muito tranquila, até que chega o momento que você tem que tirar o pé da pedra para começar o negativo. Com os pés em contato com a pedra você se sente mais seguro e dá muito medo tira-los de lá, mas é importante confiar no instrutor. Depois que você os tira, percebe que está ainda mais confortável e a descida é uma delícia.

O medo volta se você resolver fazer todas as estripulias que eu fiz. Ficar de cabeça pra baixo pela primeira vez foi muito tenso e eu não consegui soltar os braços. Na foto dá pra ver meu corpo duro e a cara de medo.

Daí vem uma dica para o rapel

Desça mais de uma vez, porque a partir da segunda você está mais confiante e consegue se soltar mais.

A escolha da equipe também conta.

O pessoal do NoRuss foi muito legal comigo, me fez sentir segura e deixou o programa mais divertido. Dá pra entrar em contato pelo face: NoRuss Adventure.

Não esqueça de levar comida e água.

 

@paulavarejao
@paulavarejao

Aperte o play e veja como a primeira aventura da série “Rio Lá Fora”, com uma ótima alternativa para praticar exercício físico ao mesmo tempo em que de diverte e explora as belezas naturais do Rio de Janeiro!

Texto/Apresentação/Edição

Paula Varejão siga no Instagram @paulavarejao

@paulavarejao
@paulavarejao
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia
Professor de Educação Física – UFRJ
Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística.
Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional
Consultas: 21 2529-6473
Email: marcellopaiva@30tododia.com.br
Post AnteriorPróximo Artigo
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia Professor de Educação Física - UFRJ Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística. Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional Consultas: 21 2529-6473 Email: marcellopaiva@30tododia.com.br