Pergunta ao Doutor

Dor no ombro? Cuidado, pode ser Osteólise distal da clavícula

Dor no ombro

Atenção aos sinais

Dor no ombro do praticante de musculação. Osteólise distal da clavícula ou “ombro do malhador”.

Essa sem dúvida nenhuma é uma das articulações que mais são acometidas por esse esporte. Por que o ombro é tão suscetível a lesões??

É articulação com mais mobilidade no corpo e devido à sua biomecânica várias forças são transmitidas através dessa articulação, que tem uma pequena área de superfície o que pode gerar uma sobrecarga nas atividades de repetição ou “overuse”

Vamos falar sobre a osteólise distal da clavícula, que é também conhecida como “ombro do malhador”.

Que doença é esta, osteólise distal?

É uma alteração que ocorre entre a articulação da clavícula e o acrômio (parte anatômica da escápula). Ocorre devido à uma reação ao estresse diário causados pelo microtraumas de repetição devido ao levantamento excessivo de peso e isso acaba levando a uma degeneração e edema na parte distal da clavícula e sua posterior reabsorção.

É mais comum em pacientes com idade inferior a 40 anos, e o principal sintoma desta patologia é a dor pontual na articulação acrômio clavicular, que é agravada principalmente na execução dos exercícios de supino e desenvolvimento e outras atividades que necessitem pegar peso em excesso e dói também no teste ao cruzar o braço sobre o outro ombro.

Essa dor pode ser irradiada para a base do pescoço ou braço. Podem causar também sintomas noturnos ao apoiar o peso do corpo sobre o ombro e nas mudanças de posição durante o sono.

dor no ombro 02

Diagnóstico

O diagnóstico é eminentemente clínico, porém é importante a utilização do RX e da Ressonância Magnética.

Muito importante o adequado descanso muscular, realização correta dos exercícios e sempre respeitar os limites que seu corpo aguenta.

Tratamento

O tratamento inicial é conservador, e consiste no afastamento temporário das atividades por cerca de 6 semanas, mudança na forma de execução do exercício, utilização da fisioterapia , uso de analgésicos e anti inflamatórios, infiltrações locais com corticosteroides , e em casos que não respondem aos tratamentos acima por 3 a 6 meses pode ser necessário a realização de tratamento cirúrgico com resseção óssea da parte final da clavícula.

Em casos de sintomas como estes procure seu ortopedista.

Sempre faça suas atividades orientadas pelo professor de educação física.

Leia: Qual a melhor estratégia para emagrecer?

Dr. Victor Titonelli
Ortopedista e Traumatologista especialista em cirurgia do joelho.
Médico staff do Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia).
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte (ISBRATE).
Tel do consultório 38618957. Instagram @titonelli
Email: victortitonelli@hotmail.com
Post AnteriorPróximo Artigo
Dr. Victor Titonelli Ortopedista e Traumatologista especialista em cirurgia do joelho. Médico staff do Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia). Membro Titular da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte (ISBRATE). Tel do consultório 38618957. Instagram @titonelli Email: victortitonelli@hotmail.com