Pergunta ao Doutor

O que é vigorexia?

Vigorexia a nova doença do momento

O que é e o que podemos fazer para evitar

1. O que é a vigorexia?

Segundo (Novaes JS, 2001) (Antunes HKM, 2006) vigorexia se enquadra em um tipo de transtorno dismórfico corporal. Isso nada mais é que exacerbar defeitos estéticos que possua, ou imaginá-los. Isso gera sofrimento psíquico podendo chegar a níveis de se achar fraco e sem vigor. Pessoas do sexo masculino são as mais atingidas. A análise da sua imagem corporal chega ao ponto de ser delirante e com grande poder de insatisfação.  A dismorfia corporal pode ser vista como o equivalente masculino da anorexia nervosa, pois em ambos há uma busca incansável pela beleza corporal. A dismorfia já foi chamada de anorexia reversa, inclusive.

2. A mudança cultural pode ser a grande responsável por desencadear problemas como esse? Por quê?

Com certeza a imagem corporal é influenciada por diversos fatores e entre eles o cultural e os padrões impostos pela sociedade. Em nosso ambulatório de medicina esportiva do Hospital das Clínicas, em São Paulo, atendemos vários casos em que o atleta relata alterações de sua imagem corporal e a imposição que mídia, treinadores e os próprios colegas de clube fazem. Em alguns casos ocorre uma sobreposição de valores na qual o atleta coloca a culpa da valorização estética na obtenção dos resultados na sua modalidade esportiva.

A sociedade atual vem mostrando um padrão muito rígido quanto à imagem corporal ideal e não percebe que está gerando uma “doença” coletiva.

3. Quais são os principais problemas e sintomas que a vigorexia desencadeia?

São inúmeros, mas os mais preocupantes são os psicológicos. As frustrações por não atingir os resultados da imagem corporal que desejou vão desencadear ansiedade, tensão e depressão, culminando em atritos familiares, amorosos e laborais. Além desses fatores, existe outro item preocupante que é a procura por substratos que vão auxiliá-lo a chegar em seu objetivo. Estou falando dos esteroides anabolizantes.

4. As redes sociais, que crescem com perfis de vida saudável, e as academias, acabam sendo um ambiente que encoraja e aceita esse estilo de vida, de cada vez mais superar os resultados. Dito isso, quais são os cuidados que os profissionais da saúde e os professores de academias devem ter para não estimular o problema?

Em minha opinião essa é a tarefa mais difícil. O que as pessoas mais querem nos dias de hoje são resultados para ontem. Vejo isso no dia a dia na prática clínica do consultório. As consultas de fim de ano multiplicam-se de forma a não dar conta da demanda.

Os profissionais da saúde envolvidos com esse mundo devem atuar de maneira integra e de forma insistente em relação a resultados saudáveis e duradouros. Mas devo assumir mais uma vez que não é fácil.

5. A própria prática de exercícios costuma desencadear reações bioquímicas responsáveis pela sensação de prazer e, assim, estimular a busca por resultados mais expressivos. A linha que diferencia o que é prazeroso do comportamento compulsivo pode ser tênue demais. Como encontrar o equilíbrio entre o exercício e o auto aprimoramento físico?

O ser humano é um ser altamente adaptável e altamente responsivo ao que você propõe a ele. Mas o nosso organismo é muito mais inteligente que isso, e de maneira geral responde através de alguns sintomas (descritos na próxima resposta) que podem ser um sinal de alerta para o ponto do equilíbrio entre bem estar e alto desempenho.

A existência e a manutenção de dor fora dos padrões normais após uma série de exercícios podem ser um pequeno indício desse desequilíbrio.

vigorexia

6. Uma pesquisa afirmou que uma pessoa comum passa, em média, 40 minutos do dia praticando atividade física, enquanto que uma pessoa com a desordem dispõe de 5 horas do dia. Quais são os danos e efeitos que o corpo sofre com tamanha quantidade de músculo e tempo excessivo de prática? Qual é a importância do descanso para o corpo?

Dentro de um ambiente de academia é comum observar atletas e não atletas excederem os limites de sua capacidade física, tanto no volume (tempo), como na intensidade do treinamento. Uma fase de treinamento intenso deve ser seguida por uma fase de treinos menos intensos e descanso, para que se chegue à melhora do desempenho (supercompensação).

Se o individuo não descansou, e um novo estímulo de treino for dado, isso pode ser o início de um desequilíbrio, com consequentes negativas ao seu desempenho. Esse resultado negativo é chamado de overrreaching, que nada mais é que uma síndrome com mudanças em diversos aspectos fisiológicos do indivíduo, culminando em alteração do sono, aumento da irritabilidade, perda de performance, excesso de fadiga/cansaço, tristeza, perda de peso, infecções de repetição, principalmente de vias aéreas superiores.

O diagnóstico dessa síndrome é basicamente clínico, o que significa dizer que nem sempre os exames complementares vão estar alterados.

Essa síndrome é mais comum do que se imagina, chegando em alguns esportes a um acometimento de até 60% dos atletas. Porém, ela é muito pouca diagnosticada. Cuidado com o excesso de treinos

7. O uso de anabolizantes acaba se tornando aliado daqueles que buscam um físico cada vez mais forte. Quais são os perigos de optar por esse aliado?

As pessoas que fazem uso dos anabolizantes ficam cada vez mais dependentes dessas drogas, pois com elas se consegue resultados mais expressivos e fáceis. Os riscos são inúmeros, entre eles:

  • Desequilíbrio hormonal com redução nos níveis de testosterona endógena podendo levar à ginecomastia, atrofia testicular, alterações na morfologia do esperma e infertilidade.
  • Efeitos dermatológicos, acne que ocorre em 50 % dos usuários.
  • Risco cardiovascular, hipertensão, morte súbita, hipertrofia ventricular, arritmia, trombose e infarto do miocárdio.
  • Alterações hepáticas (fígado) como hepatite, hiperplasia e adenoma hepatocelular.
  • No sexo feminino pode ocorrer engrossamento da voz, aumento clitoriano, crescimento do pelo facial, aumento do desejo sexual e alterações do ciclo menstrual.

Vale ressaltar que seus efeitos colaterais podem ocorrem independente da dose, porém tem maior prevalência nos indivíduos que abusam dessas substâncias.

8. Assim como os músculos, a dieta acaba virando também uma obsessão? Por quê?

Excelente pergunta. É praticamente impossível separarmos a busca do corpo perfeito sem a realização de uma dieta regrada para o objetivo do indivíduo. Realmente a dieta tem papel fundamental no resultado estético corporal.

Assim, a pessoa passa a ficar obcecada por tudo que vai comer e beber. Passa a viver uma vida fora dos padrões de uma sociedade normal. A pessoa deixa de se relacionar socialmente para não passar por situações constrangedoras de não comer e beber o que será oferecido, ficando refém da dieta.

Siga no Instagram nosso colunista Médico do Esporte Dr. @walterkantovitz

Educador Físico e Fisioterapeuta (METODISTA)
Médico (PUC-CAMPINAS)
Pós Graduado em Fisiologia do exercício e biomecânica (USP-SP)
Pós Graduando em nutrologia (ABRAN)
Residente Medicina Esportiva (USP-SP)
email: walteresportiva@yahoo.com.br
instagram: @walterkantovitz
Post AnteriorPróximo Artigo
Educador Físico e Fisioterapeuta (METODISTA) Médico (PUC-CAMPINAS) Pós Graduado em Fisiologia do exercício e biomecânica (USP-SP) Pós Graduando em nutrologia (ABRAN) Residente Medicina Esportiva (USP-SP) email: walteresportiva@yahoo.com.br instagram: @walterkantovitz