Dicas

Lesão na corrida

Corrida x Lesão

As atividades físicas que envolvam corridas, são muito propensas a causarem lesões na parte da frente da coxa, conhecida como região anterior da coxa. Nesta região, encontramos o quadríceps, que é um grupo muscular formado por 4 músculos que são o reto femoral, vasto medial, vasto lateral e vasto intermédio.

As lesões mais comuns nessa região são as distensões e as contusões.

Distensão do quadríceps:

Essas lesões geralmente acontecem quando o atleta realiza a contração excêntrica do quadríceps (quando o músculo se alonga na fase de desaceleração, do movimento da corrida) em altas velocidades. Corridas de rua, voleibol, tênis, Rugby, futebol, atletismo, futebol americano e outras atividades de corrida, são os esportes que mais acometem essa região. A maioria dessas lesões acometem o principal músculo, que é o reto femoral, que é o único que atravessa o quadril e o joelho. As lesões acometem mais a região final do músculo na sua transição músculo-tendínea.

Os fatores que se associam a essas lesões são:

  • Desbalanço muscular,
  • Má postura,
  • Lesão prévia,
  • Diferença no comprimento do membro,
  • Má recuperação pós lesão,
  • Ausência de aquecimento prévio,
  • Flexibilidade inadequada dentre outros.

São classificadas em 3 Graus:

Grau I: estiramento leve das fibras musculares.
Grau II: estiramento moderado com ruptura parcial do músculo. Ocorre perda de força muscular.
Grau III: ruptura completa do músculo, geralmente na transição músculo-tendínea.

Principais sintomas:

Depende do grau de lesão, mas em termos gerais apresentam-se com dor na região, inchaço, diminuição da função muscular, hematoma e em casos do Grau III defeito palpável no músculo com perda total da função muscular.

O médico inicia a investigação com Rx, sendo depois realizado o ultrassom e a ressonância magnética.

Tratamento:

Em relação ao tratamento fazemos o repouso do membro acometido, gelo, compressão local pra evitar o inchaço, elevação do membro, analgésicos, fisioterapia e em alguns casos isolados como nas lesões graus III, pode ser necessário o procedimento cirúrgico. O retorno às atividades de corrida deve ser gradual, após o paciente não apresentar mais queixas de dores, arco total do movimento e força muscular suficiente para retornar às práticas físicas, podendo variar de 2 dias até 10 semanas , mas a média são de 4 semanas, claro que isso varia dependendo do grau da lesão.

Contusão do quadríceps:

O mecanismo de trauma é quando alguma estrutura atinge diretamente a coxa do atleta, por traumas como golpe ou pancada, gerando os mesmo sintomas descritos para a distensão.

Referências:
Key topics In Sports medicine, edição routledge pág 299

Acesse aqui e agora para adquirir uma play list perfeita para o seu treino, desenvolvida pela Sony Music para você que vive o conceito #30tododia.

Volume 1

http://smarturl.it/30tododia_V1

Volume 2

http://smarturl.it/30tododiaV2

Banner-iTunesGoogle 720

Dr. Victor Titonelli
Ortopedista e Traumatologista especialista em cirurgia do joelho.
Médico staff do Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia).
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte (ISBRATE).
Tel do consultório 38618957. Instagram @titonelli
Email: victortitonelli@hotmail.com
Post AnteriorPróximo Artigo
Dr. Victor Titonelli Ortopedista e Traumatologista especialista em cirurgia do joelho. Médico staff do Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia). Membro Titular da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte (ISBRATE). Tel do consultório 38618957. Instagram @titonelli Email: victortitonelli@hotmail.com