Dicas, Dicas

Adoçante faz mal? Desvendamos todos os segredos

Adoçante

Tudo que você sempre quis saber

Adoçante controla a obesidade e a diabetes? O que são adoçantes?

São produtos que contêm a substância Edulcorante, que significa aquela que adoça (sabor doce). Porém os adoçantes não contêm só edulcorantes mas substâncias que tem a propriedade de dar estabilidade ao produto. Estes podem ser derivados do petróleo, álcool ou do amido.

Adoçantes são seguros?

Existe uma sigla IDA, que nada mais é que a recomendação diária aceitável para ser usada pelo indivíduo. A quantidade é calculada em mg por Kg de peso que a pessoa pode ser usar sem riscos à saúde.

O que deve ser frisado é que a quantidade calculada para a pessoa segue uma ampla margem de segurança.

O valor da dose calculada para humanos é de cerca de cem vezes menor daquelas observadas em estudos animais, no qual mostravam efeitos colaterais. Gestantes a Lactantes não entram nesse cálculo.

Os estudos sobre os adoçantes crescem a cada dia, porém ainda não há resultados definitivos quanto à garantia do uso de todos os tipos de adoçantes.

Quais os tipos de adoçantes e quais suas características?Fonte: United States Recommended Daily Allowance (USRDA)

  • Aspartame:

Característica: não pode ir ao forno pois perde o poder de adoçar.

Sabor: é o mais parecido com açúcar.

Poder de adoçar: 200 vezes mair que o sacarose (açúcar).

Quantidade equivalente a 1 colher de sopa de açúcar: 24 mg

Calorias:

Ingestão máxima por dia (mg/kg de peso corporal): 40 mg/kg

  • Stévia:

Característica: pode ir ao forno e realça o sabor dos alimentos.

Sabor: sabor residual.

Poder de adoçar: 300 vezes maior que o sacarose (açúcar).

Quantidade equivalente a 1 colher de sopa de açúcar: 16 mg

Calorias: zero

Ingestão máxima por dia (mg/kg de peso corporal): 40 mg/kg

  •  Sucralose:

Característica: resiste bem as altas temperaturas.

Sabor: parecido com açúcar, não deixa sabor residual.

Poder de adoçar: 600/800 vezes maior que o sacarose (açúcar).

Quantidade equivalente a 1 colher de sopa de açúcar: 6 g

Calorias: zero

Ingestão máxima por dia (mg/kg de peso corporal): 15 mg/kg

Qual a principal população que deveria utilizar os adoçantes?

As pessoas que mais deveriam fazer uso dos adoçantes são as diabéticas/ “pré diabéticas” ou em dieta hipocalórica, mas muitas pessoas acabam usando como forma de substituir o açúcar normal em busca do corpo perfeito.

Agora o mais interessante e que foi mostrado em um artigo e publicado na conceituada revista NATURE é a relação entre a piora da tolerância a glicose com o consumo de adoçantes, principalmente com a sacarina (um dos edulcorantes estudados), mas dentro do estudo existe um experimento que demonstra um efeito similar com aspartame e sucralose, porém em menor proporção.

Sabe-se que outros estudos são necessários, mas esses resultados sugerem intolerância à glicose aos consumidores de adoçantes.

Sugerem também que humanos apresentam respostas individualizadas ao uso dos adoçantes, pois a composição da microbiota intestinal é diferente entre os indivíduos.

Adoçantes e obesidade

Alguns estudos tem demonstrado benefício dos adoçantes no manejo do peso, porém, outros mostram efeitos antagônicos.

Um grande estudo San Antonio Heart Study and the National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) mostra associação direta de ganho de peso e consumo de adoçantes.

Algumas hipóteses para tal fato seriam:

  • A digestão possui uma fase cefálica e a falta dessa seria um fator de risco para obesidade.
  • Os adoçantes poderiam oferecer menos saciedade quando comparados com os açúcares e isso aumentar o consumo alimentar energético.
  • Os adoçantes melhoram a aceitação de outro alimentos, estimulando a fome e a ingestão alimentar.

Com tudo que foi descrito a palavra a ser usada é CAUTELA, e fazer uso dos adoçantes com critérios médicos/nutricionais e de forma equilibrada.

Dr. Walter Kantovitz 

Gostou do texto, compartilhe nas suas redes sociais. 

BIBLIOGRAFIA:

1) Suez et al. Artificial sweeteners induce glucoseintolerance by altering the gut microbiota. Nature, 2014. 2) Kanas AF, Anzai A, Blanco BP, Lim SJ, Nakandakare ER. The use of artificial sweeteners: does it really contribute to weight loss? / 3) Adoçantes artificiais: uma alternativa para o controle da obesidade? Rev Med (São Paulo). 2013 jan.-mar.;92(1):1-12. 4) Castro AGP, Franco LJ. Caracterização do consumo de adoçantes alternativos e produtos dietéticos por indivíduos diabéticos. Arq Bras Endocrinol Metab 2002; 46(3): 280-287 5) Torloni, Maria Regina et al. O uso de adoçantes na gravidez: uma análise dos produtos disponíveis no Brasil. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. [online]. 2007, v. 29, n. 5, pp. 267-275. 6) World Health Organization. Principles for the safety assessment of food additives and contaminants in food. Geneva: WHO; 1987. p. 77-9. [Environmental Health Criteria, 70].

Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia
Professor de Educação Física – UFRJ
Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística.
Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional
Consultas: 21 2529-6473
Email: marcellopaiva@30tododia.com.br
Post AnteriorPróximo Artigo
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia Professor de Educação Física - UFRJ Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística. Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional Consultas: 21 2529-6473 Email: marcellopaiva@30tododia.com.br