Dicas

Obesidade nos dias de hoje, Bisfenol-A

Obesidade e seus segredos.

O rápido aumento da prevalência da obesidade nos últimos anos sugere a possível existência de outros fatores, além do sedentarismo e a má-alimentação.

A Federação Internacional para o Estudo da Obesidade relatou que novas evidências para a epidemia de obesidade em todo o mundo vem associando a um aumento da exposição aos desreguladores endócrinos, chamados de “obesogênicos ambientais“.

E um deles que vem sendo bastante investigado é o BISFENOL.

Apesar de ter sido reconhecido pela primeira vez em 1930, como um potencial estrogênio sintético, atualmente a população mundial está amplamente exposta ao Bisfenol em suas vidas diárias.

O BISFENOL está contido em uma variedade de produtos como as mamadeiras, embalagens de plástico e revestimento de latas para alimentos e bebidas.

Em uma amostra representativa dos Estados Unidos, o Bisfenol foi detectado em mais de 92% das amostras de urina.

Assim, existe uma plausibilidade biológica que o BISFENOL poderia levar à resistência à insulina e suscetibilidade aumentada para a obesidade e síndromes metabólicas.

Diversos estudos mostraram que os níveis de Bisfenol estavam elevados e foram associados a maior circunferência do quadril, maior circunferência da cintura, maiores dobras cutâneas e maior IMC e maior risco de desenvolvimento da obesidade.

Um dos aspectos preocupantes de exposição ao BISFENOL é que as crianças obesas apresentam níveis de BISFENOL na urina maior do que as crianças não-obesas e também do que os adultos, indicando uma carga biológica mais pesada provavelmente devido à diminuição do metabolismo.

Em um estudo recente publicado no JAMA, Trasande et al relataram uma associação entre a presença do Bisfenol na urina e obesidade entre crianças e adolescentes.

Em outro estudo, Li et al,  os resultados também mostraram que os estudantes do sexo feminino com idades entre 9-12 anos (provavelmente em estágios de desenvolvimento púbere) tiveram um nível de Bisfenol ligeiramente superior ao dos estudantes mais velhos. Este resultado é consistente com os achados da população dos Estados Unidos, mostrando que o nível de Bisfenol é geralmente maior em crianças mais novas. O Bisfenol é um estrogênio ambiental, que poderia acelerar o desenvolvimento púbere das meninas dessa faixa etária e ganho de peso durante este período.

A evidência mostra que a exposição ao BISFENOL parece estar contribuindo para a epidemia de obesidade em todo o mundo. Como um ambiente cada vez mais obesogênico de falta de atividade física e a má-alimentação, os resultados sugerem que a exposição mais elevada ao BISFENOL parece potencializar os efeitos do acúmulo de gordura corporal e implicações importantes para a epidemia de obesidade infantil.

É importante também salientar que esse acúmulo de gordura na fase infantil poderá ser bastante prejudicial na fase adulta, uma vez que é extremamente difícil fazer a redução de gordura em adultos que foram crianças/adolescentes obesos.

A explicação para esse acúmulo da obesidade pode ser:

  1. AUMENTO DO TAMANHO das células de gordura (adipócitos) já existentes (hipertrofia);
  2. AUMENTO DO NÚMERO dessas células de gordura (hiperplasia);
  3. ambas.

O aumento apenas do TAMANHO dessas células ocorre ao longo de toda a vida basicamente em função do saldo calórico positivo, ou seja, quando o gasto é menor do que a ingesta.

Já o aumento do NÚMERO ocorre em 3 principais momentos:

  1. Nos primeiros anos de vida;
  2. Na adolescência;
  3. Nos últimos três meses de gravidez.

Quem foi uma criança/ ou adolescente obeso e é um adulto obeso teve uma multiplicação das células de gordura (hiperplasia).

 

obesidade

 

E com os exercícios e dietas, eles conseguem APENAS REDUZIR o tamanho das células de gordura mas não conseguem diminuir o número dessas células já existentes.

Por isso que, quando interrompem os exercícios e dietas, RECUPERAM rapidamente a gordura corporal, pois a grande quantidade de células de gordura já existentes aumentam de TAMANHO novamente.

Dessa forma, esses indivíduos adultos que foram obesos na infância/adolescência devem ter uma PREOCUPAÇÃO muito maior em relação à MANUTENÇÃO do programa de reeducação alimentar e exercícios físicos.

Além disso, é de fundamental importância, a CONSCIENTIZAÇÃO dos pais para a prática de exercícios físicos e uma alimentação saudável na infância e adolescência.

Dicas importantes para evitar ingerir o BISFENOL:

  • Trocar os recipientes de plástico por recipientes de vidro, aço inoxidável ou recipientes de porcelana;
  • Não aquecer alimentos em recipientes de plástico no microondas;
  • Evitar usar copos de plástico para ingerir bebidas alcoólicas;
  • Ler atentamente a embalagem dos alimentos industrializados antes de comprar para verificar a presença de Bisfenol no revestimento, pois muitos alimentos são tratados termicamente depois de embalados e no caso de alimentos como molho de tomate a sua acidez favorece à transferência de Bisfenol da embalagem para o alimento.
  • Verificar a informação no fundo nos recipientes de plástico ao lado do símbolo de reciclagem há um número que se for 3, 6 ou 7 possui maior toxicidade.
  • No caso de equipamentos para bebês, é importante procurar produtos e utensílios isentos de BISFENOL que já existem a venda.
  • Respeitar a data de validade dos produtos embalados incluindo água, refrigerante, loção ou mesmo sabonete líquido. Quando se tratar de produtos que duram muito tempo, como óleo de bebê ou elixir bucal, por exemplo, transfira-os para garrafas de vidro ou distribuidores de cerâmica.

Dr. Cesar Marra

Referências:

Li D-K, et al. Urine Bisphenol-A Level in Relation to Obesity and Overweight in School-Age Children. PLoS ONE 8(6), 2013.

Trasande L et al. Association between urinary bisphenol A concentration and obesity prevalence in children and adolescents. JAMA 308:1113–1121, 2012.

Malina RM; Bouchard C. Growth, Maturation And Physical Activity. Champaign, IL: Human Kinetics, 1991.

Doutor em saúde coletiva/obesidade
Consultor Técnico @30tododia
Email: profcesarmarra@gmail.com
Pioneiro no estudo de HIIT no Brasil.
Post AnteriorPróximo Artigo
Doutor em saúde coletiva/obesidade Consultor Técnico @30tododia Email: profcesarmarra@gmail.com Pioneiro no estudo de HIIT no Brasil.