Pergunte ao Nutricionista

Diabetes, o que comer antes e depois dos exercícios?

Diabetes

Tipos de Exercício:

Nas mais diversas condições fisiológicas, nutricionais e de atividade física em que nosso organismo é submetido à quantidade de substratos oxidados vão variar em diversos tipos para satisfazer suas necessidades energéticas em resposta a uma variedade de situações, principalmente pela musculatura envolvida no processo contrátil.

As pessoas tem a capacidade de utilizar duas vias do metabolismo energético, que são as vias anaeróbias (sem utilizar o oxigênio) e aeróbias (utilizando o oxigênio). Porém a forma de transferência de energia varia consideravelmente entre os indivíduos.

Os exercícios aeróbios geralmente são prolongados e contínuos com ênfase na duração e não muito na velocidade do movimento.

Já os exercícios anaeróbios podem ser realizados com certa velocidade, normalmente com uma determinada carga ou também exercícios mais lentos, com cargas mais elevadas, tendo como exemplo os exercícios resistidos (musculação).

 

Recomendações úteis na regulação da resposta glicêmica ao exercício:

01. Controle glicêmico antes do exercício:

  • Não se exercitar caso a glicemia em jejum estiver > 250 mg/dl e cetose estiver presente ou se glicemia estiver > 300 mg/dl independente da presença de cetose.
  • Ingerir carboidrato adicional se a glicemia estiver < 100 mg/dl.

02. Dosagem glicêmica antes e após o exercício:

  • Identificar quando insulina ou ingestão de alimentos é necessária;
  • Aprender a resposta glicêmica para diferentes condições de exercício.

03. Ingestão de alimentos:

  • Consumir carboidrato adicional se necessário para evitar hipoglicemia;
  • Alimentos (carboidratos) devem estar prontamente disponíveis durante e após o exercício.

 

diabetes 

Como prescrever o exercício ao individuo diabético:

O tipo de exercício físico deve seguir o objetivo e o interesse pessoal do diabético. Nesse sentido é de extrema importância que a atividade física motive o indivíduo para que ele mantenha e sustente um programa de atividade diária.

Os programas de exercícios para os diabéticos devem incluir exercícios aeróbios e resistidos (ex: musculação), para que os mesmos possam manter aptidão cardiorrespiratória, massa magra, força e resistência muscular.

Recomendação:

Recomenda-se um tipo de atividade que se possa aperfeiçoar o gasto energético, pois a diabetes (principalmente tipo 2) está associada à obesidade.

Toda prescrição da atividade Física deve ser realizada com precisão e cautela. Sempre respeitar a individualidade de cada um com relação à duração, frequência e intensidade.

Frequência/ intensidade/duração

Quanto à frequência, o Colégio Americano de Medicina Esportiva enfatiza que deve ser realizado por 3 dias consecutivos e 5 vezes na semana, para que se tenha o objetivo de melhora cardiorepiratória e perda de peso desejados.

Em relação à intensidade, a recomendação é que sejam realizados exercícios de leve a moderada intensidade, o que corresponde 40-70% do VO2 máximo.

Com relação à duração, inicialmente devem ser realizadas sessões de 15 minutos de atividade, e esse tempo deve ser aumentado gradativamente sendo o mínimo de 30 minutos. As atividades poder ser divididas em 3 tempos de 10 minutos cada totalizando seus 30 minutos diários. Os diabéticos devem ser encorajados a praticar 60 minutos de atividades diárias.

O controle do exercício físico pela frequência cardíaca em diabéticos, não deve ser usada de forma Isolada, pois essas pessoas tem alteração neural autonômica o que altera a resposta da frequência cardíaca frente ao esforço físico. A escala de percepção subjetiva ao esforço é uma ferramenta útil quando usada em associação para controle da intensidade ao esforço.

 

A caminhada é o tipo de atividade mais comumente praticada pelos diabéticos, já que é o mais conveniente para a maioria, porém deve-se estar atento às complicações do diabético que podem ser agravadas com esse tipo de atividade de impacto (ex: neuropatia periférica, artrites degenerativas). Sempre associar atividades físicas de impacto (corrida e caminhada) com aquelas sem impacto (ex: natação, bicicleta).

Os exercícios resistidos (musculação) devem ser realizados em séries de 10 a15 repetições, sempre objetivando aumento progressivo da carga,frequência e duração  para aumentar ainda mais os benefícios (melhora da massa magra, resistência muscular, força e diminuição dos riscos cardiovasculares) que esse tipo de exercício traz ao diabético.

Observações:

A literatura mostra que a terapia adequada para o diabético tipo 1 ou 2 deve envolver o manejo medicamentoso correto associado a uma dieta adequada e a um programa de exercícios regulares.

De maneira geral a recomendação diária é de 30 minutos de atividades físicas na maioria dos dias da semana, sendo que a associação do exercício aeróbio com resistido mostrou maior benefício sobre algum deles de forma isolada.

Aos profissionais que atuam nessa área a recomendação é realizar um questionário detalhado com o paciente e sempre estar atualizado com possíveis novas complicações que a diabetes pode trazer ao mesmo. Isso tudo para que o exercício físico seja apenas um benefício para o paciente e não mais um risco a sua vida.

Nutricionista Marcelo Langsdorff e o Dr. em Medicina do Esporte Dr. Walter Rosamilia

Compartilhe nas suas redes sociais. 

Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia
Professor de Educação Física – UFRJ
Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística.
Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional
Consultas: 21 2529-6473
Email: marcellopaiva@30tododia.com.br
Post AnteriorPróximo Artigo
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia Professor de Educação Física - UFRJ Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística. Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional Consultas: 21 2529-6473 Email: marcellopaiva@30tododia.com.br