Pergunte ao Nutricionista

HMB Hidroxi b-metilbutirato: O que é? Para que serve esse suplemento?

HMB Hidroxi β-metilbutirato

O que é? Será que devo tomar esse suplemento?

HMB Hidroxi β-metilbutirato é um metabolito do aminoácido leucina (um dos aminoácidos que compõe o BCAA) que, juntamente com α ceto-Isocaproate e isovaleril-CoA, medeiam os efeitos da leucina. Cerca de 5% da leucina na dieta é oxidado em HMB, e esse parece ser o principal metabólito da leucina que impede de maneira mais eficaz a quebra de proteína muscular (músculo) e supostamente capaz de aumentar força e massa muscular.

HMB e LEUCINA HMB

Se comparar o aminoácido leucina com o HMB, esse último parece ser consideravelmente mais potente em atenuar a taxa de degradação de proteínas do músculo, mas é menos eficaz do que a leucina na indução de síntese (formação) de proteínas do músculo. Devido a isto o HMB é comercializado como um agente anti-catabólico (proposto para reduzir a taxa de degradação muscular), em vez de um agente anabólico (proposto para aumentar a massa muscular). Como HMB é dito ser 20 vezes mais potente do que a leucina para este efeito, ele é visto como equivalente a 20-60g de suplementação de leucina.

Como devo ou deveria fazer uso do HMB?

A suplementação de HMB deve ser feita com a finalidade de reduzir as perdas de massa muscular ao longo do tempo (anti-catabólico).

A dose diária para isso é de 1-3g.

Se o propósito for síntese de proteínas musculares (anabolismo) HMB parece não ser tão eficaz quanto à leucina, além dessa ter o custo menos elevado.

Sugestão é usar HMB cerca de 30-45 minutos antes de um treino.

Gallagher PM, et al. comparou a ingestão de 3g contra doses mais elevadas (geralmente 6g) e não encontraram nenhuma diferença significativa nos resultados entre as duas doses.

Quais os benefícios do hmb?

  • Existe uma tendência para as pessoas idosas que suplementam com HMB de atenuar a perda de massa muscular que ocorre com o envelhecimento.
  • Suplementação de HMB na dose suplementar viável está estabelecida como anticatabólico em pacientes com alto risco de perda de massa muscular (caquexia associada ao câncer, AIDS, repouso absoluto), porém não há provas suficientes para avaliar corretamente o seu papel em atletas. Parece ser melhor do que a leucina, mas exige provas mais robustas para confirmar esse seu efeito.
  • Existem algumas evidências que sugerem que a suplementação com HMB pode ter algum benefício quanto à recuperação e dor muscular.
  • As evidências são fracas em suportar a ideia de que a suplementação de HMB promove a síntese de proteína muscular em atletas treinados usando 3g diariamente, e é provável que não exista nenhum benefício.
  • Quanto a influenciar a perda de massa gorda com a suplementação as evidências são contraditórias.
  • A suplementação de HMB semelhante a Leucina pode causar aumentos significativos na liberação de insulina do pâncreas. Pimentel GD, et al. com suplementação de HMB mostrou o aumento na insulina em 245%, com uma redução de 6% de glicose e expressão do seu receptor aumentada, mas apenas no fígado (não no músculo esquelético).
  • Portal S, et al. em um estudo realizado em jovens atletas de voleibol de elite (de jovens) não encontraram diferenças na testosterona, cortisol e GH após a suplementação de 3g de HMB durante um período de sete semanas associado ao treinamento.

Toxidade:

Suplementação de HMB superior a 3g/dia demonstrou ser muito bem tolerada, e suspeita-se que as doses mais altas são seguras. Gallagher PM, et al. comparou a ingestão de 3g contra doses mais elevadas (geralmente 6g) não encontraram nenhuma diferença significativa nos resultados entre as duas doses.

Mas o HMB realmente funciona?

No passado esse suplemento teve muito êxito quando se falava em melhora do desempenho, porém com o tempo caiu em desuso, pois a maioria da bibliografia não mostrava resultados positivos para aquilo que ele foi proposto (ganho de desempenho atlético).

Ano passado (junho 2014) um grande estudo foi publicado no Jornal Europeu de Fisiologia Aplicada e mostrou ganhos exorbitantes com sua suplementação, ganho esse nunca referido em nenhum outro estudo até o momento.

Só para se ter uma ideia o ganho em 50 dias de suplementação com HMB associado ao treinamento intenso em atletas foi de 7,4 Kg de (músculo) massa magra e somente  2,1 Kg de massa magra em atletas que não fizeram seu uso.

Será que temos nesse momento um suplemento top dos top dos top?

As conclusões no meio científico se fazem de maneira continua e lenta, porém deve-se ter certa cautela com esses resultados, ainda mais quando o artigo publicado foi realizado com conflitos de interesse (empresa Metabolic Technologies Inc que comercializa o produto).

Fica a dica

Dr Walter Rosamilia Kantovitz  e Nutricionista Marcelo Langsdorff

Siga no instagram: @walterrosamilia @nutricionistamarcelolangsdorff

 

Compartilhe nas suas redes sociais e leve informação para a vida das pessoas. 

 

BIBLIOGRAFIA:

1)    Gallagher PM, et alBeta-hydroxy-beta-methylbutyrate ingestion, Part I: effects on strength and fat free massMed Sci Sports Exerc. (2000)

2)    Sabourin PJ, Bieber LL. Formation of beta-hydroxyisovalerate by an alpha-ketoisocaproate oxygenase in human liverMetabolism. (1983)

3)    Van Koevering M, Nissen S. Oxidation of leucine and alpha-ketoisocaproate to beta-hydroxy-beta-methylbutyrate in vivoAm J Physiol. (1992)

4)    Nissen S, et alEffect of leucine metabolite beta-hydroxy-beta-methylbutyrate on muscle metabolism during resistance-exercise trainingJ Appl Physiol. (1996)

5)    Vukovich MD, Stubbs NB, Bohlken RM. Body composition in 70-year-old adults responds to dietary beta-hydroxy-beta-methylbutyrate similarly to that of young adultsJ Nutr. (2001)

6)    Pimentel GD, et alβ-Hydroxy-β-methylbutyrate (HMβ) supplementation stimulates skeletal muscle hypertrophy in rats via the mTOR pathwayNutr Metab (Lond). (2011)

7)    Portal S, et alThe effect of HMB supplementation on body composition, fitness, hormonal and inflammatory mediators in elite adolescent volleyball players: a prospective randomized, double-blind, placebo-controlled studyEur J Appl Physiol. (2011).

8)    Wilson JM,et al, The effects of 12 weeks of beta-hydroxy-beta-methylbutyrate free acid supplementation on muscle mass, strength, and power in resistance-trained individuals: a randomized, double-blind, placebo-controlled study. JEur J Appl Physiol. 2014 Jun;114(6):1217-27.

Educador Físico e Fisioterapeuta (METODISTA)
Médico (PUC-CAMPINAS)
Pós Graduado em Fisiologia do exercício e biomecânica (USP-SP)
Pós Graduando em nutrologia (ABRAN)
Residente Medicina Esportiva (USP-SP)
email: walteresportiva@yahoo.com.br
instagram: @walterkantovitz
Post AnteriorPróximo Artigo
Educador Físico e Fisioterapeuta (METODISTA) Médico (PUC-CAMPINAS) Pós Graduado em Fisiologia do exercício e biomecânica (USP-SP) Pós Graduando em nutrologia (ABRAN) Residente Medicina Esportiva (USP-SP) email: walteresportiva@yahoo.com.br instagram: @walterkantovitz