Blogs, caopanheirolabra

Stand Up Paddle!

Muitos acreditam que o Stand Up surf é um esporte recente, mas a história de Stand Up vem de muito tempo.

A utilização de embarcações individuais, para a pesca, o transporte e como forma de atividade recreativa, ocorreram em civilizações muito antigas.

No Peru entre 200 a.c. e 700 d.c. os moches, utilizavam seus Cabalitos de Totora ( embarcação feita de junco) , para a atividade de pesca no mar, e pegavam ondas para voltar a praia. No século IV os polinésios, também tinham o costume de surfar e levaram este costume para o Hawaí aonde a arte de surfar foi aperfeiçoada. Em 1000 d.c. O surf já era um pilar na cultura polinésia, e era praticado por todos, dos camponeses aos reis.

Por volta de 1700, o surf já estava enraizado também na cultura hawaiana, os plebeus surfavam deitados e os chefes em pé com pranchas de 12 a 24 pés, os chefes eram reconhecidos por sua capacidade de surfar e demonstravam sua coragem e habilidade em ondas grandes.

As raízes do Stand Up Paddle são também, as origens do surf.

No início do século 20, foi comunicado pelo capitão James Cook em seu diário que ele viu um canoísta pegar uma onda no Taiti, enquanto estava sentado.

O Stand Up Paddle moderno, foi popularizado no Hawaí entre as décacas de 20 e 50, quando os chamados Beach Boys, instrutores de surf, na praia de Waikiki utilizavam grandes pranchas com remo, para acompanhar e fotografar os aspirantes a surfistas da época.

8fa9ccb0b00a11e2816522000a9e48f9_7

No Brasil:

O SUP no Brasil chegou por intermédio de dois surfistas (Jorge Pacelli e Haroldo Ambrósio) trazendo equipamentos mais modernos. Logo após, este interesse foi crescendo e se tornou febre, praticado em praias do Rio de Janeiro, São Paulo, no sul do país, lagos e rios em Brasília.

Com o stand up paddle você pode estar em pé sobre a prancha, e utilizar uma pá semelhante aos utilizados em um caiaque ou canoa. No entanto, remar sem cair pode ser uma grande aventura. O Supsurf ou stand up paddle, está sendo praticado em águas rasas de baías, lagos, rios, e as lagoas. Outros estão nas ondulações do mar.

É um bom esporte para trabalhar força, equilíbrio, abdominal, os braços e a mente. Atletas de surf de pranchinha, do longboard, de tow-in e até mesmo de outros esportes como o triathlon se utilizam do pranchão a remo para melhorar o preparo físico e relaxar a mente.

As modalidades do Stand Up Paddle:

As modalidades mais praticadas do Stand Up Paddle são: Wave, Race, Freestyle e Rafting. Conheça cada uma delas logo abaixo.

  • Wave:

A modalidade Stand Up Paddle Wave tem como objetivo unir as habilidades e possibilidades de desempenho do surf clássico e moderno com o uso do remo.  Desta forma, pretende-se que as potencialidades e características do equipamento (prancha e remo) sejam usadas em uma onda. Assim, somente surfar a onda sem o auxilio do remo não é o pretendido pelo Stand Up Paddle.

Para esta prática, a prancha de SUP tem um desenho muito próximo das de surfe tradicional, possuindo rocker (curvatura do fundo, que facilita o deslizamento) e, na maioria das vezes, três quilhas. No wave, é utilizado um remo com pá e comprimento menor, de material leve e resistente, como fibra de carbono, adequada ao uso extremo.

Já os campeonatos seguem as mesmas características das provas de surfe, com regras e juízes avaliando o desempenho dos atletas, que se desafiam em baterias por tempo.

  • Race:

A modalidade race tem como objetivo creditar como vencedor o atleta com o maior potencial de rendimento da prancha com o remo, capaz de realizar o percurso estabelecido para prova em menor tempo, ultrapassando assim a linha de chegada à frente dos demais.

As pranchas de race são grandes e têm um design frontal bem parecido com o desenho de canoas, visando maior estabilidade em linha reta e melhor navegabilidade. Já os remos têm a área de pá um pouco maior que os modelos de surfe, pois o importante é a velocidade. Além disso, o cabo é mais comprido, para obter uma remada mais longa.

Já as provas são variadas. Há a flat water (água lisa, literalmente) realizada em lagos, represas ou mar sem ondas. Neste caso, predominam a técnica, a força e a resistência do atleta. Já no downwind (as pranchas correm a favor do vento, num percurso linear) dependem das condições do vento e da ondulação a favor, que fazem com que as pranchas andem muito rápido, exigindo do atleta mais técnica do que força.

  • Free Style:

A modalidade Freestyle tem como objetivo avaliar a variedade de manobras realizadas sobre a prancha de Stand Up Paddle, apenas com a mobilidade do corpo e o auxílio do remo.

  • Rafting:

A modalidade Rafting tem como objetivo descer corredeiras sobre a prancha de Stand Up Paddle apenas com a mobilidade do corpo e auxilio do remo.

Outras variações do Stand Up Paddle

Além das modalidades citadas acima, que possuem competições, o SUP possui outras variações. Conheça abaixo que são elas.

  • SUP pesca

O praticante utiliza a prancha em vez de um barco para pescar. Até já existem equipamentos para fixar a vara e os acessórios na prancha, auxiliando o pescador.

  • SUP yoga

Os movimentos da yoga são realizados em cima da prancha. É uma ideia maluca, mas que tem atraído praticantes.

  • SUP em rios de corredeiras

Essa modalidade se assemelha ao rafting, sendo uma variação bem radical do esporte. Algumas vezes, é praticado com pranchas infláveis.

e minha favorita! sup dog!!

 913911_281683161968634_1181532897_o

fontes:

 www.livesurf.com.br

www.travinha.com.br

www.standupportugal.com

absup.com.br

Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia
Professor de Educação Física – UFRJ
Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística.
Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional

Email: marcellopaiva@30tododia.com.br

Post AnteriorPróximo Artigo
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia Professor de Educação Física - UFRJ Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística. Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional Email: marcellopaiva@30tododia.com.br