Pergunte ao Professor

Posso fazer exercício no frio? Quais as recomendações

Frio x Exercício

O que dizem os especialistas

Vem chegando o inverno e com a queda da temperatura, muita gente pergunta se a prática do exercício faz mal ou ainda, quais ações são necessárias para não se pegar um resfriado ou gripe.

Nosso coordenador técnico, Dr César Marra (@drcesarmarra), fisiologista do exercício esclarece várias questões nessa matéria sobre exercício físico no frio.

A primeira consideração importante é que o maior problema relacionado ao clima do Brasil e a temperatura média anual é em relação ao calor excessivo e a alta umidade, o que acontece em boa parte do ano. Sobre esse tema, o Dr César Marra já escreveu aqui no site do 30tododia (clique aqui para saber mais sobre exercício físico no calor e seu perigo).

Então, sobre o exercício no frio é preciso entender que a principal função da circulação na pele é manter o equilíbrio térmico, proporcionando isolamento contra o frio e eficiente transferência de calor entre as porções centrais e a periferia do corpo.

O mecanismo de regulação de calor, auxiliado pela sudorese e pelo efeito da evaporação através do suor, está mais bem adaptado para a proteção contra o calor excessivo do que contra o frio excessivo para os humanos.

Gordura Corporal, Exercício e Estresse Induzido pelo Frio

As diferenças no conteúdo de gordura corporal entre os indivíduos influenciam a função fisiológica no frio durante o repouso e o exercício.

Convém considerar o estresse devido ao “frio” como sendo altamente relativo. A sobrecarga fisiológica imposta pelo ambiente frio depende do nível de metabolismo do indivíduo e da quantidade de da gordura corporal. Pessoas com maior quantidade de gordura toleram muito mais o frio do que as pessoas mais magras.

Em relação às crianças, o corpo delas facilita muito mais a perda de calor em um ambiente quente, porém passa a constituir uma desvantagem durante o estresse induzido pelo frio, pois o calor corporal dissipa-se rapidamente.

Os ambientes frios podem elevar o metabolismo energético durante o repouso e o exercício. A magnitude do efeito depende principalmente do conteúdo em gordura corporal e da eficácia do conjunto de sua roupa. A taxa metabólica aumenta em até cinco vezes em repouso durante um estresse extremo induzido pelo frio, pois os calafrios geram o calor corporal necessário para manter uma temperatura central estável.

@guilhermeguidotri
@guilhermeguidotri

O Trato Respiratório Durante O Exercício Em Clima Frio

O ar ambiente frio normalmente não lesiona as passagens respiratórias. Até mesmo em um clima extremamente frio, o ar em geral é aquecido para cerca de 30°C até alcançar os pulmões.

No entanto, o aquecimento do ar inspirado nas vias respiratórias faz aumentar grandemente sua capacidade de conter umidade, o que produz uma perda considerável de água por parte das passagens respiratórias, contribuindo para tosses após o exercício.

Em um clima frio, o trato respiratório perde uma quantidade considerável de água e de calor, mais particularmente durante o exercício vigoroso.

Essa perda de líquido pelas vias respiratórias contribui para a desidratação, secura dos lábios, a boca seca, a sensação de queimação na garganta e a irritação generalizada das passagens respiratórias.

O uso de um cachecol aprisiona a água contida no ar expirado, aquecendo e umedecendo o ar contido na próxima inspiração.

Diante disso, a reposição hídrica se faz necessária. Ingestão de 200 ml de água a cada 15 minutos é uma razoável recomendação.

Exercício no Frio

Como foi dito acima, o maior problema do exercício físico é a combinação letal em alta umidade do ar e as elevadas temperaturas.

No frio, como o corpo se aquece naturalmente com a realização dos exercícios físicos, o aumento da temperatura é um fator benéfico para o organismo, uma vez que o frio excessivo em repouso pode causar quadros de hipotermia e assim, gerar respostas fisiológicas para o aquecimento do corpo.

Uma preocupação para exercícios no frio é a vestimenta.

Ao proporcionar isolamento em relação ao frio, as fibras das roupas aprisionam uma camada de ar que, será aquecida, estabelecendo uma barreira para a perda de calor, pois o tecido e o ar conduzem precariamente o calor.

O isolamento torna-se mais efetivo com uma zona mais espessa de ar aprisionado acima da pele. Por essa razão, várias camadas de uma roupa leve, ou as peças de vestuário revestidas com tecidos sintéticos (com numerosas camadas de ar aprisionado), proporcionam um melhor isolamento que apenas uma camada volumosa de uma única peça de roupa.

Mas atenção, como foi dito acima, pessoas com excesso de gordura já tem uma camada isolante contra a perda de calor, devendo então, atentar para o não excesso de roupa que irá usar em relação às pessoas mais magras.

Conclusão

“O exercício no frio pode ser realizado normalmente, desde que se atente para uma boa reidratação, uma vez que a perda hídrica é considerável no trato respiratório para o aquecimento do ar gelado.

Outra recomendação é usar vestimentas com algumas camadas de roupa de fibras sintéticas para se proteger do frio e manter o corpo aquecido. Isso logicamente, vai depender da temperatura do local onde é realizado o exercício.Não arrume a desculpa de que está frio. A regularidade do exercício físico não pode ser interrompida pela queda da temperatura. Mantenha-se ativo. A sua saúde agradece”.

Afirma Professor Doutor Cesar Marra, siga no Instagram @drcesarmarra

Referências

American College of Sports Medicine. American College of Sports Medicine position stand on heat and cold illnesses during distance running. Med Sci Sports Exerc 1996;28(12).

Bittel JHM, et al. Physical fitness and thermoregulatory reactions in a cold environment. J Appl Physiol 1988;65:1984.

Falk B, et al. Response to rest and exercise in the cold: effects of age and aerobic fitness. J Appl Physiol 1994;76:72.

Kizaki T, et al. Relationship between cold tolerance and generation of suppressor macrophages during acute cold stress. J Appl Physiol 1997;83:1116.

Toner MM, McArdle WD. Physiological adjustments of a man to cold. In: Pandolf KB, et al., eds. Human performance physiology and environmental medicine at terrestrial extremes. Carmel, IN: Cooper Publishing, 1988.

Doutor em saúde coletiva/obesidade
Consultor Técnico @30tododia
Email: profcesarmarra@gmail.com
Pioneiro no estudo de HIIT no Brasil.
Post AnteriorPróximo Artigo
Doutor em saúde coletiva/obesidade Consultor Técnico @30tododia Email: profcesarmarra@gmail.com Pioneiro no estudo de HIIT no Brasil.