Pergunte ao Professor

Qual a melhor estratégia para emagrecer: Musculação, hiit ou Cross fit?

Musculação, hiit ou Cross fit, qual a melhor estratégia para emagrecer

Por alguma razão, quando nós decidimos que é hora de perder peso, a primeira coisa que temos em mente, é priorizar as atividades cardiovasculares e deixar em segundo plano o treinamento com pesos.

Quando Treinamos com pesos, inexoravelmente pensamos em construir músculos e não em queimar gorduras.

Isto vem de um conceito matemático de emagrecimento que diz que o balanço de calorias gastas por restrição calórica e atividade física, deve ser maior que o número de calorias consumidas.

Nada mais óbvio que investir o seu tempo em aeróbios, pois os mesmos metabolizam mais energia por minuto.

O problema é que não podemos ver o emagrecimento de maneira tão simplista.

O nosso corpo é muito mais complexo do que isso, resumir o emagrecimento a uma simples conta de matemática pode ser um erro.

Tenho certeza que você já ouviu falar que “músculos queimam gorduras ” em algum lugar.

Muitos treinadores creditam isso ao aumento da massa muscular, mas na prática, o número de calorias gastas a mais pelo incremento da massa magra não resolve o problema, mas então o que torna o treino com pesos tão eficiente?

Chamo de efeito “afterburn“, que nada mais é do que um gasto energético nas horas que sucedem o exercício . Os processos de restauração e reconstrução muscular gerados após a  musculação alteram o metabolismo, queimando gordura.

É possível perder gordura somente praticando musculação, hiit ou Cross fit associados a reeducação alimentar!

Porém usar somente a musculação, a musculação associada com o hiit ou o Cross fit, depende da individualidade biológica.

Ou seja, nível de treinamento, idade, sexo e tipo físico, endomorfo (tendência a acumular gordura), ectomorfo (facilidade em metabolizar gordura e maior dificuldade em ganhar massa muscular) e mesomorfo (perde gordura e ganha massa muscular com facilidade).

Opinião do especialista @treinadorboson

As explicações acima, justificam os resultados adquiridos por praticantes de Cross fit e de musculação de alta intensidade associada quando necessário a o Hiit.
Na musculação é possível personalizar o trabalho.

É possível escolher exercícios e atividades cardiovasculares adequadas para cada pessoa.

O Cross fit pede praticantes experientes, pois muito dos exercícios pedem níveis diferenciados de consciência corporal.

O que observo no cross fit, é que a maioria dos praticantes ainda não possui mobilidade e consciência corporal suficientes para tirar proveito da metodologia. Os treinadores tem que segurar o rojão até a turma desenvolver essas valências psicomotoras.

Acredito que o Cross fit brasileiro é o melhor do mundo. Aqui ele é ministrado por profissionais que fizeram um curso superior em educação física, enquanto lá fora, quem ministra os treinos fez um curso de um final de semana.

Todo um trabalho de Base é feito aqui para garantir a segurança de todos, enquanto fora do país os gringos desqualificados (nem todos é óbvio) queimam o filme da modalidade.

Os processos de avaliação física e a experiência do treinador é que irão determinar qual atividade é mais adequada e qual os caminhos para se adequar a uma determinada atividade.

@paivamarcello
@paivamarcello

Referências

1.Hass, C.J., M.S. Feigenbaum, and B.A. Franklin, Prescription of resistance training for healthy populations. Sports Med, 2001. 31(14): p. 953-64.

2.Bryner, R.W., et al., Effects of resistance vs. aerobic training combined with an 800 calorie liquid diet on lean body mass and resting metabolic rate. J Am Coll Nutr, 1999. 18(2): p. 115-21.

3.Williams, M.A., et al., Resistance exercise in individuals with and without cardiovascular disease: 2007 update: a scientific statement from the American Heart Association Council on Clinical Cardiology and Council on Nutrition, Physical Activity, and Metabolism. Circulation, 2007. 116(5): p. 572-84.

4.Strasser, B. and W. Schobersberger, Evidence for resistance training as a treatment therapy in obesity. J Obes, 2011. 2011.

5.Kirk, E.P., et al., Minimal resistance training improves daily energy expenditure and fat oxidation. Med Sci Sports Exerc, 2009. 41(5): p. 1122-9.

6.Geliebter, A., et al., Effects of strength or aerobic training on body composition, resting metabolic rate, and peak oxygen consumption in obese dieting subjects. Am J Clin Nutr, 1997. 66(3): p. 557-63.

7.Wang, Z., et al., Evaluation of specific metabolic rates of major organs and tissues: comparison between men and women. Am J Hum Biol, 2011. 23(3): p. 333-8.

8.Sword, D.O., Exercise as a Management Strategy for the Overweight and Obese: Where does Resistance Exercise Fit in? Strength and Conditioning Journal, 2012. 34(5): p. 47-55.

9.Park, S.K., et al., The effect of combined aerobic and resistance exercise training on abdominal fat in obese middle-aged women. J Physiol Anthropol Appl Human Sci, 2003. 22(3): p. 129-35.

10. J Obes. 2012;2012:480467. doi: 10.1155/2012/480467. Epub 2012 Jun 6.
The effect of high-intensity intermittent exercise on body composition of overweight young males.
Heydari M1, Freund J, Boutcher SH

11. The nature and prevalence of injury during CrossFit training.
Hak PT, et al. J Strength Cond Res. 2013

Post AnteriorPróximo Artigo