Pergunte ao Professor

Agachamento pela frente é igual ao agachamento por trás?

Agachamento pela frente X por trás.

Tanto pela prática quando pela referência de literatura pertinente, o Agachamento pela frente não permite o uso de cargas elevadas quando você não possui as valências físicas necessárias.

O mesmo movimento feito com a barra pelas costas é mais fácil.

Porém quanto a ativação muscular não há diferenças significativas. O problema deste exercício está na sustentação da barra, que dependendo da flexibilidade (ombro e punho), prejudicará a execução do movimento limpo, dificultando o uso da sobrecarga para gerar intensidade de trabalho.

Recomendação do agachamento pela frente.

Gullet et al 2009 recomenda o uso deste Agachamento por aqueles que apresentam limitações, como o lesões ligamentares e do menisco. O trabalho de Esófago et al 2009 endossa essa afirmação, uma vez que as forças de compressão (proximal / distal) no joelho foram significativamente maiores durante o agachamento por trás do que no agachamento frontal.

Isso aumenta a segurança, de indivíduos com o ligamento cruzado anterior lesionado ou reconstruído por cirurgia recente.

No Cross fit, o exercício é muito utilizado, lembrando que a modalidade é um esporte, além de um sistema de treinamento.

Foco em hipertrofia (ganho de massa muscular).

Para indivíduos que focam hipertrofia, talvez não seja o ideal, devido a limitação imposta pela carga e flexibilidade da cintura escapular (ombros).

Quando o praticante não possui altos índices de consciência corporal e flexibilidade, o agachamento frontal torna se um exercício muito técnico, e limitado a poucos.

Isto não é uma regra fechada, aliás como tudo que diz respeito ao treinamento.

Alguns praticantes experientes, principalmente crossfitters treinados, conseguem altas cargas e intensidade de trabalho.

Lembro que os praticantes deste esporte, tem altos índices de flexibilidade, força, resistência de força e potência. Como sempre digo, crossfit é para uma tribo que curte superar todos os limites das valências físicas.

Execução e posicionamento dos pés. 

Outro detalhe interessante é que para conseguir uma boa amplitude na execução no Agachamento pela frente, o joelho tende a se projetar a frente da linha dos dedos do pé, o que acreditou se por muito tempo ser lesivo para a articulação do joelho.

Isto é um consenso entre os profissionais de saúde e fitness. Difícil não ver um profissional corrigir a execução de um praticante quando o mesmo ultrapassa a linha dos dedos do pé na fase excêntrica do movimento (descida) Lista et al (2013) mostrou que o fato do joelho “correr”a frente dos dedos dos pés, não causa lesões, apenas gera mais tensão, sendo a ideia de ferimentos apenas uma teoria não validada pela ciência do treinamento.

Cabe uma maior investigação, mas como treinador e na minha experiência de 15 anos, é fácil perceber que apesar da ativação muscular semelhante, o agachamento pela frente não gera a mesma solicitação da musculatura dos glutêos, como o agachamento com a barra por trás da cabeça.

É uma questão de experimentar, feitos em alta intensidade, com o mesmo % da carga Max. O dano muscular nos glutêos causado com a barra por de trás é maior na maioria dos praticantes.

Conselho do especialista.

Para evoluir, é questão de treinar, com dedicação as dificuldades irão desaparecer.

Aprenda com quem sabe, busque a orientação de um profissional de educação física especialista em cross Fit. Este profissional pode encurtar o seu caminho para o sucesso.

Supere seus limites, busque novos desafios.

Até a próxima.

Professor Especialista Rodrigo Boson.

Se gostou do texto, compartilhe nas suas redes sociais.

Rodrigo Boson
Professor de Educação Física UFRJ
Pós Graduação em Fisiologia do Exercício e Treinamento de Força.
Especialista em Emagrecimento.
Post AnteriorPróximo Artigo
Rodrigo Boson
Professor de Educação Física UFRJ Pós Graduação em Fisiologia do Exercício e Treinamento de Força. Especialista em Emagrecimento.