Dicas, Treinamento

Treinar com cinto abdominal

Esse tema é controverso, por haver publicações que defendem a não utilização do cinto por minimizar a ação muscular abdominal e lombar, e outras indicando ser vantajoso a utilização em quebras de platôs de treinamento. Por esses motivos vamos circundar as várias vertentes e tentar cinturar todas em busca de uma forma mais direta de mostrar “PARAQUESERVE”.

É comum percebermos em academias pessoas com diferentes perfis utilizando o “CINTO”, independente da necessidade individual. A fim de preservar nossa estrutura lombar ao levantarmos cargas elevadas utilizamos o cinto como proteção, tendo isso em vista, muitas pessoas estão o utilizando sem mesmo estimularem a região que protege, pondo em dúvida sua eficácia , já que ao utilizarmos esperamos que sua ação seja uma armadura perfeita contra as lesões, assim subestimando o potencial físico do nosso corpo, criando um corpo mais frágil no período de ausência do cinto.

Com relação a atletas que se encontram em um momento de estagnação em sua curva de treinamento e necessitam quebrar esse platô, a utilização do cinto nos momentos de cargas elevadas tem grande valor pois a pressão intra-abdominal se acentua com o ajuste do cinto, permitindo a estabilização e a sensação de formar um bloco abdominal e lombar perfeito, pois a barreira criada com o cinto auxilia a parede abdominal obtendo assim o aumento da pressão intra – abdominal e consequentemente o aumento da pressão arterial, dificultando o retorno venoso.

Há também quem defenda a utilização do cinto como forma proprioceptiva da manutenção da posição estacionária da coluna , mesmo que não tenha uma grande pressão envolvida o individuo por perceber o cinto junto ao corpo passa a se ajustar de forma mais adequada ao exercício, o que levaria a já comentada desestimulação dos músculos envolvidos.

Observando todos esses fatores, o cinturão, ou cinto de levantamento de peso , pode ser um bom artifício nos momentos em que há uma sobrecarga a ser trabalhada, sendo esta fora da sua curva habitual de treino. A utilização constante pode minimizar o trabalho de toda parede abdominal e lombar, incluindo os músculos abdominais profundos que são necessários na manutenção do core.

Percebemos o quanto é necessário a estimulação da parede abdominal e lombar, fato esse que só poderá ser feito na ausência do cinto. Quando progredirmos as cargas o corpo encontrara as adaptações necessárias, como os ajustes de pressão e a força estrutural básica, para o cinturão entrar como um artifício para sobrepujar a dificuldade desse nível.

Por ser um adepto do “Powertrainnig”, utilizo, porém nunca de forma desenfreada, pois acredito que o corpo deve suportar o que ele é submetido, sendo os artifícios utilizados de forma pontual em sua evolução.

Meu nome é João Marcelo Heringer e se você gosta de treino, seja bem vindo!

Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia
Professor de Educação Física – UFRJ
Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística.
Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional
Consultas: 21 2529-6473
Email: marcellopaiva@30tododia.com.br
Post AnteriorPróximo Artigo
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia Professor de Educação Física - UFRJ Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística. Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional Consultas: 21 2529-6473 Email: marcellopaiva@30tododia.com.br