Dicas, Treinamento

Falha muscular, saiba os benefícios

Por definição, a falha muscular é a incapacidade de realizar uma repetição completa de forma voluntária para uma determinada carga devido a fadiga.

Vamos entender agora um pouco mais sobre esse método:

No treinamento de força, o músculo torna-se mais forte, ou seja, aumenta sua capacidade de vencer uma determinada carga, além disso, aumenta seu tamanho, esse fenômeno chamado de hipertrofia muscular. Todas essas modificações são adaptações que ocorrem após uma seqüência de estímulos gerados durante o treinamento, e que com o passar do tempo, começam a não mais oferecer um estímulo tão forte assim, ocasionando uma estagnação nessas adaptações.

Para que possam ser desencadeadas novas adaptações, o músculo tem que constantemente ser desafiado, ou seja, temos que gerar estímulos que façam com que o nosso organismo sinta a necessidade de se tornar mais forte e mais eficiente a cada treinamento, mas para isso, temos manipular de forma coerente as variáveis do treinamento.

Um exemplo disso é o uso da falha muscular, esse método é utilizado para essa quebra das estagnações nos ganhos de força e hipertrofia e deve ser inserido nos regimes mais avançados de treinamento.

Nesse método levaremos nosso músculo àquela contração máxima, a realizar uma repetição a mais do que estava programado, e que na maioria das vezes paramos de fazer quando sentimos um desconforto ou dor no final das repetições. Esse tipo de procedimento é responsável pelo aumento da força, do aumento do limiar de dor e da secreção de hormônios anabólicos.

Um erro comum cometido é determinar um número exato de repetições para múltiplas séries, como por exemplo, 3 x 8 (três séries de oito repetições), isto indica que a carga utilizada está sendo subestimada, já que, mesmo realizando o descanso ente as séries, seria impossível manter o mesmo número de repetições nas séries subseqüentes, o que determina que as outras séries não foram trabalhadas até a falha, não oferecendo o estímulo máximo ao músculo.

A sugestão é que para este tipo de estratégia utilizemos uma faixa de repetições, 8 a 12 por exemplo, e através da tentativa e erro, determinar uma carga na primeira séries que nos possibilite falhar no limite superior da repetição e deixar que naturalmente, nas séries seguintes, que as repetições caiam ao limite inferior, sendo desenvolvido em todas elas o regime de falha muscular.

Lembre-se apenas que o uso da falha muscular, também sobrecarrega os tendões e articulações, e por incrível que pareça, quando utilizada por períodos superiores a 6 semanas, pode também estagnar os ganhos de força e hipertrofia. Sendo assim, alterne os regimes de falha muscular a cada 6 semanas por período sem a falha, em torno de 7 a 15 dias, evitando assim o overtraining.

 Supere seus limites a cada treinamento, busque uma repetição a mais, o uso da falha muscular é fundamental para estimular os ganhos de força e hipertrofia muscular.

 

www.instagram.com/fabmirandar

Post AnteriorPróximo Artigo