Aventura, Dicas

Tudo sobre a corrida de montanha – Trail Running

Corrida de Montanha – Trail Running

Conheça a história da corrida de montanha e suas curiosidades.

Olá leitores, sou o Leonardo Bohrer, profissional de educação física e treinador, e idealizador da equipe Bfteam.

Hoje, além de apaixonado pelas corridas de montanha e praticante deste tipo de corrida, tenho levado os meus  alunos/atletas a conhecer  este esporte, ajudando a difundi-lo. A prática desta modalidade, por sinal, é bem propícia para o Brasil e para a nossa cidade maravilhosa (Rio de Janeiro), também sede olímpica de 2016 e  terra natal deste grande movimento, o 30tododia. E abaixo vocês entenderão o porque!

Conheça a história da corrida de montanha e sua origem, assim como curiosidades e características gerais desta modalidade.

História da corrida de montanha

Definir  corridas de montanha ou “trail running” como uma modalidade onde executamos  movimentos de corrida em ambientes fora do asfalto e com a presença da natureza é, no mínimo, simples demais.

Existem dois prováveis começos para as corridas de montanha.

O primeiro seria que a origem das competições do gênero data do Século XI, quando o Rei Malcolm Canmore, da Escócia, organizou um evento de corrida nas colinas locais, para escolher mensageiros para o Reino.

A outra provável origem, também no Século XI, remete a pastores do Norte da Inglaterra, que apostavam corrida nas montanhas por pura diversão.

No Século XIX, essas corridas se tornaram mais organizadas e passaram a ter uma certa regularidade na região de Cumbria (UK). Nessa região, eles usam o termo fell para designar montanhas e morros, e, por isso, as corridas são chamadas de Fell Running (Corridas de Montanha).

A referência a esta provável origem está no documentário “Of Fells and Hills”, onde  o escritor, fotógrafo e corredor, Richey Gates, viajou para o Reino Unido para explorar e descobrir a história, a cultura e as lendas desse tipo de corrida.

Tendo estas duas prováveis possibilidades da origem, posso adiantar que realmente foi no Século XI e no Reino Unido a criação desta grande modalidade.

O trail running moderno apareceu bem mais tarde, por volta de 1.820, ainda nas Ilhas Britânicas, como uma modalidade incluída em festas e jogos regionais. Por mais de 150 anos esteve restrito a estes eventos e viu um de seus primos, o cross-country (corrida em circuitos fechados, sem pavimentação) se popularizar bastante.

A primeira corrida oficial, já com o nome atual, aconteceu em 1977 e reuniu dezesseis atletas, sendo que somente três a concluíram.

Dito isto, vamos às curiosidades  e características gerais.

corrida de montanha

Curiosidades e características gerais

As corridas de montanha ou “Trail Running” estão ganhando  muitos adeptos nos últimos anos no nosso mercado, devido ao  Brasil possuir uma variação de relevo e topografias com uma infinita diversidade de cenário natural. Parece, cada vez mais, ser um grande novo consumidor desta modalidade. A Europa, devido a todo o seu tipo de relevo e topografia, sempre foi o grande consumidor desta modalidade. Entretanto, este não parece ser o único motivo deste aumento de adeptos no Brasil.

A corrida de montanha, além de possuir este lado lúdico do visual, possui uma variabilidade de terrenos e intensidades, dentro de trilhas, provocadas por aclives, declives, riachos, pedras, areias de  praia, lamas, paralelepípedos, entre outros. Sendo assim, esta alternância toda provoca um grande desafio, pois, além de uma variação de velocidade, o que é determinante para o praticante, também é necessário ter muita força/potência, aliada à resistência e tolerância à fadiga periférica (muscular) e central (cardiovascular). Mas isto é um assunto para ser abordado com mais profundidade em outro texto. Esta dificuldade, com certeza, tem sido um dos aperitivos para a superação de novos desafios e ganhos de mais apaixonados por esta modalidade, se tornando um jargão muito comum entre os corredores: “Quanto pior, melhor!”, referindo-se às dificuldades nas trilhas.

Para a prática de corrida de montanha ser feita com segurança e êxito, é importante nos atentarmos a alguns detalhes peculiares desta modalidade.

Características da corrida de montanha

1- Velocidade, distância, tempo e altimetria da prova

Diferente de uma prova de rua, onde conseguimos traçar uma estratégia média de tempo por km ou “pace” do início ao fim de uma prova, na corrida de montanha não é  tão fácil de se mensurar estas variáveis, devido aos desníveis positivos (quanto irá subir em metros) e aos desníveis negativos (quanto irá descer em metros),definindo assim a altimetria de cada prova. Sendo assim, de maneira bem distinta de provas de rua, o quão melhor o corredor possuir uma boa percepção de esforço e melhor conhecer o percurso ou for adaptado à ele, mais chance de ter sucesso na prova terá.

O tempo total de provas irá variar com a distância e dificuldades das provas. As distâncias são uma característica também destas provas. Existem para todos os gostos e níveis de condicionamento. Variam, geralmente, entre provas de 7km, 10 km, 21km,42km ,50km, 60km e as ultramaratonas de 80km até 130 km. Irei falar com uma abordagem mais ampla destas variáveis e dicas de provas no Brasil no próximo texto.

2- Temperatura e terrenos

A temperatura não será muito diferente da prova de rua. Ela sempre  será determinante para uma pior ou melhor performance.

Entretanto, os terrenos diversificados serão o grande diferencial destes percursos. O corredor de rua, quando “migra” para este tipo de prova, sente uma grande dificuldade de adaptação, devido à instabilidade do terreno. Alguns apresentam o fator “medo” de cair ou de se lesionar, sendo  um novo desafio a ser vencido. Por mudar bastante a biomecânica em relação ao asfalto, geralmente a fadiga periférica (muscular) é o maior desafio de adaptação. O treino de força e de mobilidade articular será de suma importância para esta modalidade. Outro assunto a ser abordado com mais profundidade em outro momento.

3- Acessórios

Outra grande diferença são as “tralhas” de um corredor de montanha. E é muita tralha! Seguem abaixo algumas, em ordem de importância.

3.1- Tênis

Os tênis “trail”  possuem uma aderência maior e o solado indicado será de acordo com o terreno que irá  enfrentar (neve, lama, areia, cascalhos, pedras vulcânicas, paralelepípedos, riachos etc…), podendo ser híbrido ou específico para o percurso que será feito.

3.2- Mochilas de hidratação

3.3- Suprimentos nutricionais 

Repositores eletrolíticos, carboidratos de rápida absorção, frutas, entre outros são necessários, de acordo com a duração da prova.

3.4- Agasalhos “corta vento”, luvas e meias térmicas, se for necessário. A ausência pode ser fatal para o sucesso da prova.

4- Sinalização, auto suficiência e hidratação

Outra característica desta modalidade é estar atento ao percurso a ser seguido nas trilhas. Toda corrida de montanha possui uma sinalização feita por faixas ao longo do percurso, mas não é incomum um corredor se perder, entrando em uma trilha alternativa por falta de atenção.

Como foi dito, deve-se estar bem atento e, por ser uma montanha, existem  riscos.

Os suprimentos nutricionais e a sua própria hidratação são obrigatórios para a sua auto suficiência. Existem pontos de hidratação e alimentos ao longo de um percurso, mas são geralmente muito espaçados. Esta é outra característica diferente da prova de rua: o corredor carrega um sobrepeso  proveniente das  mochilas de hidratação.

Isso é só o início da nossa aventura sobre as corridas de montanha! Espero poder ter ajudado a conhecer melhor esta modalidade.

Quem quiser conhecer melhor o Bfteam e as corridas de montanha, acesse o meu Instagram @bohrerfitnessteam ou envie um e-mail para leobohrer@hotmail.com.

@bohrerfitnessteam
@bohrerfitnessteam
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia
Professor de Educação Física – UFRJ
Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística.
Email: marcellopaiva@30tododia.com.br
Post AnteriorPróximo Artigo
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia Professor de Educação Física - UFRJ Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística. Email: marcellopaiva@30tododia.com.br