Dicas

Como escolher e comprar a primeira bike de triathlon ou ciclismo?

Primeira bike de triathlon ou ciclismo

Como escolher e comprar

Se você sonha em começar uma nova modalidade como o ciclismo ou o triathlon, o primeiro passo a ser dado é a compra de sua primeira bike. Se você está pensando em se presentear com uma delas, nós do @30tododia traremos pra vocês as principais dicas na compra desse importante equipamento esportivo.

E aí, vamos entrar 2018 de magrela nova?

A COMPRA

O primeiro ponto a se considerar é o famoso “quer ou pode gastar quanto?”.

De maneira geral, nunca aconselhamos a gastar muito dinheiro na primeira bike. Primeiro porque os equipamentos mais modernos do mercado extrapolam a necessidade de um atleta iniciante.

São máquinas com uma tecnologia de carros de Fórmula 1. E afinal de contas, ninguém começa na vida pilotando um Fórmula 1, né!

Segundo, porque é necessário saber se você vai, de fato, se apaixonar pela modalidade. A progressão ocorre a medida que crescem a paixão, a assiduidade e o desempenho no esporte.

Regra número 1:

Devagar no andor que o santo é de barro. Uma boa bicicleta satisfará suas necessidades iniciais.

Outro ponto que não podemos deixar de ressaltar logo de início é o “fuja das super ofertas e de preços totalmente fora do mercado”.

Por dois motivos: ou esse equipamento esportivo não traz peças originais, confiáveis e de procedência conhecida. Ou esse produto pode ser fruto de roubo ou furto e poderá trazer problemas futuros.

Regra número 2:

Procure lojas especializadas em bicicletas ou esgote as referências do vendedor antes de fazer sua primeira compra.

E falando das vantagens de se comprar diretamente da loja, além da confiança em saber que o produto é original, você fideliza sua bicicleta à oficina mecânica daquela loja.

A grande maioria das lojas de bicicleta possuem oficina mecânica, afinal de contas, eles precisam montar as bicicletas que vem desmontadas de fábrica.

Sendo assim, qualquer problema que venha a ocorrer com sua bicicleta, você terá condições de trocar uma peça, realizar um reparo, além de fazer as manutenções e revisões sempre com o mesmo mecânico.

Investimento:

Muita gente se pergunta qual seria o investimento inicial na compra de sua bike.

Bom, como veremos, a variedade de equipamento permite uma variedade ainda maior de preço. Por isso, uma base de cálculo seriam R$ 3.000,00 em uma bicicleta de alumínio, R$9.000,00 em uma bicicleta de carbono e ainda R$ 1.500,00 de equipamento (capacete, sapatilha e pedal).

A partir daí cada melhoramento no equipamento, peça ou material irá baratear ou encarecer a composição de sua bicicleta.

QUE MARCA EU COMPRO?

Com relação a marca das bicicletas, existe um número enorme de fabricantes, e um número maior ainda de modelos do próprio fabricante. Aí é o verdadeiro gosto de freguês. Mas atenção.

Antes de escolher a marca da bicicleta é importante conhecer alguns conceitos.

De maneira geral a bicicleta estará dividida em três importantes partes:

  • quadro,
  • grupo,
  • roda.

Falando do quadro, este pode ser confeccionado em alumínio, carbono ou uma mescla de alumínio e carbono. Aí fica fácil entender: carbono é mais leve mas é mais caro. Entra lá na regra número 1. Quer pagar quanto?

Ambos equipamentos são resistentes e a diferença ficará de fato no peso de cada um. Então, regra número 3:

Regra número 3:

Quadros de carbono ou alumínio são eficientes. Se tiver com um dinheiro a mais guardado, esse pequeno investimento a mais no carbono lhe trará uma bicicleta mais leve e menos esforço na pedalada.

Já falando dos grupos, basicamente temos 3 grandes fabricantes no mercado:

  • japonesa Shimano,
  • americana SRAN
  • italiana Campagnolo.

O grupo envolve as peças do freio e câmbio e dentro da mesma marca existem vários modelos.

Os dois primeiros são os mais comuns no Brasil. Isso facilita muito na hora da manutenção do equipamento e reposição de algumas peças.

Além disso, são vistos como bons olhos na revenda.

Dentre os modelos da cada marca, atenção para a ordem de qualidade e equivalência aproximada entre as marcas:

Ordem em qualidade Shimano SRAN Campagnolo:

1º Dura-ace/ Di2 Red Record/Super Record
2º Ultegra / Di2 Force Chorus
3º 105 Rival Athena
4º Tiagra Apex Centaur
5º Sora Veloce,

A diferença básica entre os modelos de entrada para os mais modernos será o peso e qualidade das peças. Isso influencia na troca das marchas, na durabilidade das peças, e claro, quanto menos peso, mais performance.

Quanto melhor o câmbio, menos chances você terá de pular uma marcha ou emperrar sua corrente numa troca mais brusca. Por isso, aí vai a regra número 4.

Regra número 4:

Ao comprar uma bicicleta, a primeira pergunta que você fará ao vendedor é:

Qual o grupo dessa bike?

A partir da resposta, decida o melhor para você.

Por fim, as rodas.

Estas também poderão ser de alumínio ou carbono, com perfil alto ou perfil baixo e pneus com câmara ou sem câmara.

Complicou? Vamos explicar.

A primeira decisão é:

Roda de alumínio ou roda de carbono?

Para treinamento, sempre rodas de alumínio. São mais baratas e bem resistentes.

Para competições, vale investir nas rodas de carbono.

A segunda decisão passa pelos pneus.

Com ou sem câmara?  Ou você escutará a pergunta “clincher (com) ou tubular (sem)?”

Para as rodas de treinamento, é recomendado sempre rodas com câmaras (clincher) para facilitar as trocas em caso de
furos no pneu.

Fica mais em conta pois uma câmara é mais barata e bem mais prática de trocar pois não é colada como o pneu tubular.

Para rodas de competição e visando um melhor desempenho aerodinâmico, muitos atletas preferem as rodas tubulares.

São mais leves e mais estáveis. Mas essas mudanças são sensíveis a atletas de performance e essa decisão vai muito do gosto do atleta.

Ambos os tipos de pneu tem vantagens e desvantagens.

E a terceira decisão fica mais para as rodas de carbono no que envolve o tamanho de seu perfil.

Esse perfil é o tamanho da lateral da roda. E pode ir de 3mm até as rodas fechadas.

Não há muito com que se preocupar com isso, se você for um atleta iniciante. Mas num futuro próximo, a escolha de um bom perfil pode influenciar e muito em seu desempenho em uma prova.

Essa decisão passará sempre pela altimetria de prova, velocidade do vento e principalmente, direção do vento. Vento lateral será
sempre o grande vilão das rodas com perfil mais largo pois gerará mais instabilidade.

Ao mesmo tempo, atletas que não atingem uma velocidade tão alta, também não se observa grande vantagens aerodinâmicas nesse mesmo tipo de roda.

@guilhermeguidotri

 

Resumo do especialista Wagner Romão:

“Prezados leitores, resumidamente, é isso que você precisa saber e conhecer na hora de comprar sua magrela e cair nas estradas da vida.

Segue abaixo nossas dicas para você não esquecer nenhum item:

Regra número 1:

Não invista tanto em um primeiro momento. Uma boa bicicleta satisfará suas necessidades iniciais.

Regra número 2:

Procure lojas especializadas em bicicletas ou esgote as referências do vendedor antes de fazer sua primeira compra.

Regra número 3:

Quadros de carbono ou alumínio são eficientes. Se tiver com um dinheirinho guardado, esse pequeno investimento a mais no carbono lhe trará uma bicicleta mais leve e com menos esforço na pedalada.

Regra número 4:

Ao comprar uma bicicleta, a primeira pergunta que você fará ao vendedor é: qual o grupo dessa bike?

Veja o momento para decidir o grupo ideal para você. Não se esqueça da revenda.

Regra número 5:

Não esqueça de investir nos equipamentos de segurança. Capacete, luz traseira e dianteira, pneu reserva, material de manutenção (chave, espátula e bomba). Eles farão parte de sua rotina de treinos.

 

E A ÚLTIMA E MAIS IMPORTANTE DICA

Recomenda-se sempre começar o ciclismo ou o triathlon através de uma assessoria esportiva.

Diferente de outras modalidades, o ciclismo requer muito aprendizado para tornar-se um esporte menos perigoso. Existe uma séria de regras, normas, dicas e técnicas, que somente um profissional de educação física capacitado poderá lhe ensinar.

Além disso, os melhores e mais seguros percursos, já existem e são de conhecimento dos atletas que praticam esses esportes. Inserir-se nesses grupos é fundamental para conhece-los, tanto para manutenção de sua segurança, como para desfrutar de belíssimas paisagens de sua cidade.

Após isso tudo, nós do @30tododia desejamos a todos vocês um ano novo repleto de realizações, como muita saúde, disciplina e claro, com 30 minutos de atividade diária durante todo o ano de 2018.

Feliz ano novo!!!

Siga no Instagram @wagner_romao

Leia: Você sabe o que é, treino concorrente?

Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia
Professor de Educação Física – UFRJ
Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística.
Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional
Consultas: 21 2529-6473
Email: marcellopaiva@30tododia.com.br
Post AnteriorPróximo Artigo
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia Professor de Educação Física - UFRJ Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística. Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional Consultas: 21 2529-6473 Email: marcellopaiva@30tododia.com.br