Dicas

Dia de recorde e festa na 8ª Edição da Velox Run

Velox Run Oitava Edição

Neste sábado, 2 de setembro, rolou a 8ª edição da Velox Run, que contou com 500 inscritos e eu estava lá para percorrer os 7,4k da Lagoa Rodrigo de Freitas. Apesar do sol no Rio de Janeiro, o clima estava perfeito para fazer uma boa prova, junto com os amigos da academia Velox Fitness

Mas como a gente não brinca em serviço, estava lá para bater meu recorde na Lagoa. Há muito tempo que não corria “pra tempo” ali e pra ser bem sincera, nem sabia qual era o meu RP (recorde pessoal) na Lagoa Rodrigo de Freitas.

Durante a semana, fiz alguns treinos de velocidade e não me senti tão bem. Me senti pesada, as pernas não responderam como gostaria, e por isso larguei cautelosa. A ideia era fazer um pace médio de 4:40, mas logo no início fiz 4:30 e percebi que minha percepção de esforço não estava no máximo. Estava me sentindo bem e continuei arriscando as parciais naquele pace de 4:30.

Como não estou acostumada a fazer provas curtas, como essa, fui sentindo como meu corpo reagia aos meus comandos. Estava com medo de quebrar, mas ao mesmo tempo não queria fazer uma prova “confortável”. Queria terminar sabendo que tinha dado o meu máximo.

Então fui confiando no pace de 4:30. Alguns quilômetros abaixo, outros acima. Daí, fiz um planejamento comigo mesma: faltando 2 quilômetros ia apertar ainda mais o ritmo. Iria pro tudo ou nada. Acabei fechando os 7,4k, com o tempo de 33min29seg, pace médio de 4:27.

Fiquei super satisfeita, mesmo o tempo não sendo suficiente para subir ao pódio do feminino geral. A terceira colocada conseguiu fazer 1min30seg abaixo de mim, portanto seria muito difícil “tirar” esse tempo.

A partir daí, foi só comemorar! A Velox Run contou com vários parceiros, e várias tendas estavam montadas oferecendo café da manhã, picolé e até cervejinha pra gente entrar no sábado com o pé direito.

Siga no Instagram @aninhareal 

Leia: Melhore a sua corrida com a prática de yoga.

Ana Luiza
Jornalista e corredora em quase todas as horas vagas. Sou eclética. Daquelas que ama correr, mas que também tem uma queda pelos treinos de força na academia. No meu dia cabe de tudo um pouco: Trabalho, treino, esporte, viagens e vida social. Por isso, o espaço aqui vai ser tudo junto e misturado. Afinal, o equilíbrio é a alma do negócio.
Post AnteriorPróximo Artigo
Ana Luiza
Jornalista e corredora em quase todas as horas vagas. Sou eclética. Daquelas que ama correr, mas que também tem uma queda pelos treinos de força na academia. No meu dia cabe de tudo um pouco: Trabalho, treino, esporte, viagens e vida social. Por isso, o espaço aqui vai ser tudo junto e misturado. Afinal, o equilíbrio é a alma do negócio.