30tododia

WTR – Arraial do Cabo: Definitivamente a prova mais bonita do RJ

WTR – Arraial do Cabo

Definitivamente a prova mais bonita do RJ

Não diria que a apenas duas horas da cidade do Rio de Janeiro teríamos uma prova de nível internacional, como a WTR.
Confira todos os detalhes da prova com nosso colunista Albert Pinho @alfeijao.
Cheguei na sexta à noite, para a retirada de kits na singela estrutura na Praia Grande. Logo ao lado, a Expo da prova, mesmo pequena, contava com diversos produtos de alta qualidade. Depois de retirar o kit fui pra Búzios, cidade vizinha onde me hospedei.
Acordei cedo devido ao translado entre as cidades, preparei meu material de prova, já arrumado na noite anterior, atitude que recomendo, tomei o café da manhã e rumo à Arraial.
Chegando com certa antecedência na Praia Grande, local da largada e chegada, aqueci junto aos muitos corredores que também faziam o mesmo.

Largada WRT 21k

Foi dada a largada, muito bem organizadas por ondas, mesmo com o número não tão grande de participantes.
Já nos primeiros kms passamos pela enorme fábrica de Álcalis, abandonada, que mesmo destoando com o resto do percurso gerou um clima legal de adrenalina. Assim que saímos da fábrica começamos uma leve subida rumo ao morro da antena, que se acentua no final.
IMG_1846
Em sequência, descemos cerca de 1km de single track até a Prainha.
O calor, junto à praia vazia e a água claríssima convidavam para um mergulho, mas o foco era a linha de chegada – não deixando de apreciar o percurso, claro.
Saindo da Prainha, entramos novamente na trilha e fomos em direção ao ponto mais alto da prova, com 135m de altitude, no Morro da Coca-Cola, percorrendo uma subida rigorosa. De lá, já nos dirigíamos ao trecho de transição para as duplas, passando antes pelo Morro do Forno.
@alfeijao
@alfeijao
Chegando à Praia dos Anjos, na transição, parei pra pegar duas bananas e me hidratar, antes de seguir o curso.
Entramos num caminho de pista dividida que variava entre paralelepípedos e terra batida, com muita lama devido às chuvas, com cerca de 2km de extensão, onde fomos até o final é retornamos pelo mesmo caminho.
Quase no final da ida, devido ao clima estava muito quente resolvi parar para abastecer a mochila de hidratação e me refrescar um pouco, antes de seguir caminhando enquanto o corpo desaquecia um pouco.
Já regenerado, voltei a correr a cerca de 500m, seguindo pela estrada de volta até o Pontal do Atalaia. Nesse trecho, o mais bonito da prova, na minha opinião, começavam as descidas íngremes.
@alfeijao
@alfeijao
Como essa é minha parte preferida em corridas de montanha, acelerei o máximo que pude, e dentro de pouco tempo já chegava à Praia Grande, novamente, local do fim da prova.
Ao pisar na areia, só pra não fechar com chave de ouro… cãibras nas duas panturrilhas, nos 200m finais! Mas era tão pouco pra acabar que, ignorando as dores, forcei a corrida até a linha de chegada da prova mais bonita do ano!
Certamente estarei lá ano que vem, fazendo meus #30tododia pra melhorar meu tempo de 2h25′, que me rendeu a 87ª posição geral e 11ª da categoria.
Parabéns ao amigo Mateus Souto, que mesmo sem altas expectativas conseguiu o 3º lugar na categoria.
@alfeijao
@alfeijao
Siga no Instagram @alfeijao 
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia
Professor de Educação Física – UFRJ
Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística.
Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional

Email: marcellopaiva@30tododia.com.br

Post AnteriorPróximo Artigo
Marcello Paiva
Idealizador do portal @30tododia Professor de Educação Física - UFRJ Pós graduação em Fisiologia do Exercício e Programação Neurolinguística. Coaching deTreinamento / Palestrante Motivacional Email: marcellopaiva@30tododia.com.br